Bolsonaro Critica Lula por Não Decretar GLO no Rio de Janeiro

No domingo (29.out.2023), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) fez duras críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por sua decisão de não decretar uma GLO (Garantia da Lei e da Ordem) no Estado do Rio de Janeiro. Essa resposta veio após um episódio de extrema violência no Rio, onde, no dia 23 de outubro, 35 ônibus e 1 trem foram incendiados após uma operação policial que culminou na morte de um miliciano. Esse incidente se destacou como um dos piores confrontos com milícias na capital fluminense.

Em uma coletiva de imprensa na sexta-feira (27.out), no Palácio do Planalto, Lula afirmou que não decretaria intervenção no Rio de Janeiro “enquanto fosse presidente”. Ele declarou que não considera apropriado que os militares das Forças Armadas sejam destacados para atuar nas favelas, “lutando contra bandidos”.

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, também do PL, corroborou com essa visão na quarta-feira (25.out), negando a necessidade de um decreto de GLO para o estado. Em vez disso, ele expressou sua esperança de que militares possam ser utilizados para reforçar a segurança na região.

O episódio de violência que desencadeou essa discussão ocorreu quando uma operação policial no Rio de Janeiro resultou na morte de um miliciano. Em resposta, indivíduos não identificados atearam fogo a 35 ônibus e a um trem, causando danos materiais significativos e gerando preocupação em relação à segurança na cidade.

O posicionamento de Lula de não decretar uma GLO para o Rio de Janeiro, uma medida que envolve o uso das Forças Armadas para manter a ordem em situações de grave perturbação da paz, foi objeto de críticas por parte de Bolsonaro.

Bolsonaro argumentou que a decisão de Lula favorece o “crime organizado” e questionou a abordagem do governo federal em relação à segurança pública no estado. Ele expressou a preocupação de que a recusa em usar a GLO possa agravar a situação de insegurança no Rio de Janeiro e permitir que o crime organizado continue operando de forma impune.

As opiniões divergentes entre Bolsonaro e Lula sobre o uso da GLO no Rio de Janeiro destacam a complexidade das questões de segurança pública no Brasil e a necessidade de uma abordagem equilibrada para lidar com desafios significativos, como o enfrentamento do crime organizado e a proteção dos direitos humanos. O episódio reforça a importância de um debate público construtivo sobre como enfrentar a violência e garantir a segurança da população em um contexto de tensão política.

Share this post

PinIt

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    scroll to top
    Instagram
    Tiktok
    YouTube
    YouTube